Mandala – A representação do “Self”

A mandala tem origem do sânscrito e significam círculos mágicos, ela é a representação do SAGRADO ou do “Self”, ela nos conecta ao centro, sendo o símbolo da Individuação ou da Iluminação. A mandala sugere ordenação, pois as imagens são organizadas e distribuídas ao redor de um ponto central.

As mandalas estão presentes em toda parte, tanto em nosso planeta, como no cosmos, como é o caso de constelações com formatos mandálicos. No reino animal encontramos conchas e teias de aranha se desenvolvendo através de progressões logarítmicas perfeitamente harmônicas, no reino vegetal podemos encontrar flores e vegetais em formas mandálicas, no reino mineral observamos estruturas cristalinas formarem estruturas mandálicas, bem como a estrutura de vários micro organismos microscópicos ou até mesmo a iris o olho humano tem uma estrutura mandálica. As danças circulares presentes em diversas culturas, as cirandas de roda, são  mandalas vivas e um convite, para que a gente se volte para o centro, ou seja para dentro.

As mandalas são utilizadas a milênios, por diferentes culturas ao redor do mundo, como é o caso das culturas: inca, asteca, tibetana, indiana, dentre outras.

O trabalho terapêutico com mandalas é extremamente eficaz e transformador, pois favorece a transmutação da energia psíquica, agindo como um regulador da psique e ajudando a organizar o caos interno. Carl Gustav Jung via as mandalas como representações simbólicas e arquetípicas da psique, ou seja, a representação do “Self”. Ele observava que as mandalas apareciam com frequência nos sonhos e nas produções artísticas dos pacientes e acreditava no efeito terapêutico que a construção das mandalas oferece para quem as constrói.

A mandala integra as forças opostas da nossa psique e em alguns casos ela aparece como um pedido de socorro. Nesse sentido, a mandala é um valioso instrumento terapêutico por ser fonte de cura e ajuda a restaurar o equilíbrio emocional.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Workshop de Mandalas – Saiba mais

Karyna F. de Oliveira Lordelo, Artista Plástica, Arteterapeuta e Pós-graduanda em Psicologia Junguiana.

Nenhum pensamento

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.